17/03/2010 às 09h53min - Atualizada em 17/03/2010 às 09h53min

Violência marca visita de Lula ao Oriente Médio

Em Belém, presidente diz que o mundo tem pressa para ver a paz entre palestinos e israelenses

foto: Baz Ratner/Reuters
No dia em que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva visitou o Mu­­seu do Holocausto e a Cisjordânia, palestinos entraram em choque com forças da polícia de Israel em Jerusalém. Dezenas de pessoas ficaram feridas, dez delas em estado grave. Mais de 60 manifestantes foram detidos.

Os dois lados passam por um momento de crescente tensão, em meio ao impasse entre Israel e os Estados Unidos sobre a decisão israelense de promover novas construções em Jerusalém Orien­­tal, setor da cidade reivindicado pelos palestinos para fundar a capital de um futuro Estado independente.
Manifestantes palestinos lançaram pedras e bloquearam ruas e avenidas em vários pontos de Jerusalém Oriental. A polícia israelense reforçou o controle na cidade, nos últimos dias, em meio à crescente tensão.

Ontem, policiais reprimiram os manifestantes com balas revestidas de borracha e granadas de efeito moral, segundo a polícia. A polícia israelense também impediu a entrada de alguns ônibus vindos para Jerusalém com palestinos com cidadania israelense, que planejavam se unir aos protestos. Na semana passada, o go­­verno israelense anunciou que pretende construir 1.600 novas habitações para judeus em Je­­rusalém Oriental.

O anúncio coincidiu com a visita do vice-presidente dos Esta­­dos Unidos, Joe Biden, à re­­gião. O governo dos EUA encarou o anúncio como um desafio aos esforços da administração Barack Obama para mediar conversações indiretas entre o governo do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu e os palestinos.

Apelo à paz

Em Belém, na Cisjordânia, segunda etapa de sua viagem ao Oriente Médio, Lula disse que o mundo tem pressa em ver a paz entre pa­­lestinos e israelenses. Em discurso a empresários brasileiros e palestinos, o líder brasileiro disse so­­nhar com o dia em que os dois povos consigam conviver e trabalhar juntos pelo desenvolvimento da região e foi muito aplaudido ao defender um acordo entre o Mer­­cosul e a Autoridade Palestina.

“Eu converso com palestinos e estes dizem que as negociações estão boas. Eu converso com os israelenses e eles dizem a mesma coisa. Mas claramente há algo errado”, afirmou o presidente.

Lula também recepcionado pelo presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas.

Fonte: portal.rpc.com.br


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »