31/03/2021 às 10h35min - Atualizada em 31/03/2021 às 10h35min

Uma homenagem a Emília Ramos de Oliveira

Jornalista Marcia Panfieti

Nessa quarta-feira, 31 de Março, a cidade de Uraí amanheceu mais triste e, considerando o pesar da família, amigos, colegas e população de nosso Município, a  Prefeitura de Uraí decreta luto oficial de 3 dias ,  pelo falecimento da professora Emília Ramos de Oliveira.
Hoje despede-se  da vida a Mestra Emília,  uma grande mulher, um exemplo e sua memória viverá eternamente entre todos que a amam, sua família e toda a comunidade de Uraí.

          Em uma frase do seu livro “Vida Minha”  Emília Ramos de Oliveira  afirmou : “ É preciso muito mais coragem para ser uma pessoa simples do que ser um herói” e assim passou pela vida, com sua simplicidade, dedicação  e amor deixará  nos que ficam uma  profunda tristeza e saudades eterna, pois a todos marcou, de forma especial e permanente.
          Autora dos livros : Uraí, nossa Terra e nossa gente, vol 1 e 2, Emília Ramos de Oliveira, participou e escreveu a história de Uraí, convivendo com a maioria dos pioneiros, descrevendo suas vidas e será  a partir de hoje lembrada como uma personagem inesquecível   na história da Educação e Cultura   de Uraí.

A importância de  Emília Ramos de Oliveira  na Educação de Uraí
No ano de 1947, na gestão  do primeiro prefeito de Uraí, Dr João Ribeiro Jr, a Secretaria de Estado da Educação  autorizou a construção de sete escolas rurais dentro do município de Uraí, uma delas na Seção São Paulo.
Aos imigrantes japoneses que aqui chegaram foi necessário um enorme esforço, principalmente no tocante ao aprendizado da língua portuguesa. A responsável pelo sucesso nessa adaptação foi Emília Ramos de Oliveira. 
Ao acaso,  por ter conhecimento que a parte interna do lápis, chamava-se grafite, o Pref.  Dr. João Ribeiro Jr descobriu que Emília sabia ler,  iniciava-se  então sua carreira de professora, mas na realidade, para Deus não existe o acaso. Lá em cima seu caminho já estava traçado,  seria uma Professora! Mestra em ensinar! Não só as letras e os números,  mas ensinar o amor, a Deus e ao próximo, como catequista e mais, ensinar a todos com seu exemplo de vida e dedicação à sua profissão.
Em uma justa homenagem realizada pela Câmara dos Vereadores, no final de 2010,  Emília Ramos falou desse início e da dificuldade, principalmente quanto a diferença da língua portuguesa e do japonês, mas ela foi responsável pela educação dessas crianças japonesas e soube com sua vocação despertar a vocação de muitos, tornando possível os sonhos do mundo.
                                                 
Link
Notícias Relacionadas »