27/11/2020 às 14h51min - Atualizada em 27/11/2020 às 14h51min

Em Cornélio Procópio, sob sol forte, 3 pessoas desmaiam na fila para receber o benefício

Beneficiários passam a manhã inteira no sol para receber os R$ 300

Tribuna do Vale

 

Mesmo em meio à pandemia do coronavírus, verdadeira multidão se formou nas calçadas que dão acesso à Caixa Econômica Federal em Cornélio Procópio esta semana para sacar os R$ 300 do auxílio emergencial. Como das vezes anteriores, uma longa fila se formou nas calçadas que dão acesso ao banco, com as pessoas expostas ao sol enquanto aguardavam para receber o adjutório do governo.

Muitas delas, de outras cidades da região, chegaram de madrugada para garantir lugar na fila com algumas passando mal e tendo até que ser atendidas por equipes do Samu, em virtude do forte calor e do longo período de espera. Três chegaram a desmaiar na extensa fila que se formou  na quadra abaixo e levadas para receber atendimento.

Algumas disputavam uma ou outra sombra nas calçadas ou embaixo de árvores nas proximidades da agência. Outras, levaram até bancos para suportar a demora no atendimento. Como Dna. Mara, moradora de Sertaneja, que entrou na fila pouco depois das 7h e por volta das 13h ainda estava aguardando para entrar no banco, como contou a beneficiária.

“Não é fácil. Eu saí de casa cedo e estou até agora sem comer e sem ir ao banheiro. Ainda bem que água, temos geladinha aqui na frente, na prefeitura. Se não fosse por necessidade, não daria para aguentar esse ‘rojão’”, relatou a beneficiária e emendou: “O brasileiro, para sobreviver, é só pela misericórdia divina mesmo. Sem ela, estamos fritos”, complementou.

Durante todo o tempo, equipes da Defesa Civil do município se estiveram no local. Cuidavam do distanciamento social e uso da máscara, como também, para eventuais situações de emergência e orientações.

“Nosso objetivo foi para garantir mais segurança às pessoas que aqui estão, principalmente quanto aos cuidados básicos que elas devem ter com relação à Covid-19”, disse o subtenente Haroldo César da Silva, presidente do órgão de proteção civil, que reconheceu a dificuldade das pessoas que estavam na fila.

“Com o pessoal da Secretaria Municipal de Saúde, estivemos orientando sobre questões de segurança. Infelizmente, constatamos a dificuldade delas em permanecer na fila por um tempo tão longo, com três delas sofrendo mal súbito. Uma, foi atendida pelo Samu e outras no interior da própria agência”, informou o subtenente.

Essa não é uma situação nova e o próprio prefeito Amin Hannouche tem se sensibilizado com isso. Em outras oportunidades, quando o prazo para pagamento do benefício foi maior, chegou a determinar que tendas fossem instaladas ao longo do trecho da rua entre a Caixa Econômica e a Prefeitura para servir como abrigo. Este é o local de maior concentração de pessoas.

Para amenizar a situação, funcionários da Coordenadoria Municipal do Procon distribuíram senhas para que as pessoas pudessem garantir o seu lugar na fila. Com elas, conseguiram sair a procura de sombras para amenizar o calor. Muitas se protegeram sob as árvores na frente da prefeitura.

Subtenente Haroldo: cuidar da segurança das pessoas contra a Covid-19


Link
Notícias Relacionadas »