03/06/2020 às 10h54min - Atualizada em 03/06/2020 às 10h54min

Em Ribeirão do Pinhal, caçador mata amigo por engano

Cobra News


Caçadores da região sul do Paraná estavam numa fazenda no distrito da Triolândia, em Ribeirão do Pinhal, para fazer o manejo de porcos do mato ( javaporco). A caça e o grupo são regulamentados, da Equipe Diamante, da região dos Campos Gerais e da Capital. Na manhã sábado, dia 30, estavam caçando na fazenda “Bom Retiro” quando no meio de um milharal um parceiro confundiu o amigo com um animal devido a visibilidade ruim no meio da plantação e efetuou um disparo de arma calibre 12, atingindo o tórax do companheiro.

Rapidamente, foi prestado socorro e encaminhado ao Pronto de Socorro local, mas a vítima não resistiu e perdeu a vida. Natálio de Castro, morador da colônia Witmarsum , da cidade de Palmeira, tinha 50 anos. Seu filho, 21, estava no local da fatalidade.

As Polícias Militares de Ribeirão do Pinhal, AbatiáGuapirama e Santo Antônio da Platina participaram da ação em seguida.

A Equipe Diamante integra membros cadastrados junto ao IBAMA(Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) para o abate dos animais.Eles são “controladores” da espécie exótica “invasora” Javali. Eles se auto-denominam Javalizeiros dos Campos Gerais.

O delegado Juliano Fonseca, plantonista da região por vídeo-conferência, ouviu os envolvidos. O autor do disparo disse ter ouvido um barulho e achou que era um javali.
 
Foi aberto inquérito a fim de que o caso seja submetido ao juiz e/ou promotor, mas o homem não foi indiciado por homicídio culposo, “a princípio não houve crime, trata-se de hipótese de erro de tipo escusável (desculpável); a visibilidade era pouca e o atirador acreditava ser um animal, foi uma fatalidade”, explicou dr.Juliano.
 
O grupo de 12 pessoas foi liberado. Somente a arma do disparo foi apreendida.
Link
Notícias Relacionadas »