04/10/2019 às 15h30min - Atualizada em 04/10/2019 às 15h30min

O que a PRF estava fazendo no pedágio de Jataizinho? Entenda

Bonde News
Portal Bonde recebeu fotos de motoristas que passaram na quinta-feira (3) pelo pedágio de Jataizinho, na BR-369, e estranharam a presença maciça de policiais rodoviários federais. Diante desses questionamentos, fomos saber o que estava acontecendo de fato no local.

A praça de pedágio tem a cobrança de tarifa para veículos comuns de R$ 23,90, a mais cara do Paraná e a concessionária Econorte, responsável pelo local, foi alvo da Operação Integração, que faz parte da Lava-Jato. Assim, as ações na praça sempre chamam a atenção dos motoristas da região. Outra crítica é que a rodovia não é duplicada e muitos motoristas procuram caminhos alternativos para driblar a alta tarifa.
 
 
 
 
Reprodução
Reprodução - Foto enviada por internauta que preferiu não se identificar
 

Foto enviada por internauta que preferiu não se identificar

O chefe do Núcleo de Policiamento e Fiscalização da Delegacia da PRF (Polícia Rodoviária Federal) de Londrina, Marcos Vinícius da Silva, esclareceu que as viaturas estavam no local para auxiliar a Econorte em um trabalho de manutenção de sinalização e implantação de um novo sistema de cancelas em dupla. A presença da polícia é importante para segurança de quem está trabalhando para evitar acidentes.

No seu site oficial, a empresa divulgou um comunicando pedindo que os usuários, ao transitarem pela praça de cobrança, "obedecessem as sinalizações, respeitando o limite de velocidade estabelecido, mantendo a distância de segurança adequada ao carro que segue à frente e aguardando a autorização para transpor as cancelas, com o devido pagamento da tarifa".

Pelas redes sociais, muita gente afirmou que a PRF realizava uma operação específica para proibir o desvio de quem não queria pagar o pedágio, versão desmentida pelo oficial ouvido pelo Bonde.

"Fugir da cobrança é uma infração de trânsito como as outras, como crianças sendo transportadas fora das cadeirinhas, dirigir sem o cinto de segurança e veículos em péssimo estado de conservação. Recebemos alguns vídeos feitos por pessoas que mostram os policiais andando no meio dos automóveis, mas esse é um comportamento rotineiro e que faz parte da nossa fiscalização. É mais fácil para flagrar, por exemplo, alguém que esteja carregando cigarros ou drogas. Como ele está na fila (do pedágio), não tem para onde fugir", explicou.


 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »