21/08/2017 às 13h08min - Atualizada em 21/08/2017 às 13h08min

Uraí na Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla

E.E. São Francisco de Assis

Marcia Panfieti

Nesta manhã de segunda-feira (21/08), a E.E. São Francisco de Assis de Uraí, realizou a abertura da  Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla, com uma carreata pelas principais ruas da cidade.

O Pref. Carlos R. Tamura e a Secretária da Assistência Social, Andrea Comar M. Tamura esperaram a carreata passar na Prefeitura,  para cumprimentar e parabenizar a todos os participantes e organizadores do evento.

Após a carreata foi servido aos alunos um delicioso almoço oferecido pela Prefeitura Municipal de Rancho Alegre.

Ainda neste dia aconteceu na escola uma palestra sobre Saúde Mental na Escola - Compreendendo as principais alterações psíquicas, físicas e motoras, ministrada pela Enfermeira especialista em Saúde Mental, Fabiana Lozano, onde participou professores e funcionários da Escola São Francisco de Assis, Escolas Municipais e Centro Municipais de Educação Infantil do município de Uraí e Rancho Alegre. Durante a semana, nos dias 21 a 28 de Agosto, acontecerão uma série de eventos, dentro da Escola para comemorar a data. 

Com base no tema: Pessoa com deficiência: direitos, necessidades e realizações, a Fenapaes tem como objetivo quebrar tabus e vencer as barreiras da desigualdade, lutando pelos direitos das pessoas com deficiência, que têm a necessidade de apoio em diversas áreas: social, familiar, escolar, trabalhista e etc, para que a inclusão se torne efetiva e as pessoas com deficiência se tornem mais preparadas e amparadas diante das dificuldades da vida.

PESSOAS COM DEFICIÊNCIA: DIREITOS, NECESSIDADES E REALIZAÇÕES.

OLIVEIRA, Fabiana Maria das Graças Soares

A vida da pessoa com deficiência registra uma história de lutas e enfrentamentos. Enquanto no século XIX conviviam em instituições residenciais e sob os estudos médicos, o século XX, foi marcado pela desinstitucionalização de atendimentos dessa natureza e, ao mesmo tempo, pela institucionalização da educação especial, quando surgiram as escolas e classes especiais. Nos anos 70, sob a lógica “o deficiente pode aprender”, conforme Glat (2007), na busca pela efetiva participação da pessoa com deficiência no mundo educacional, a educação especial foi direcionada por outros princípios políticos, filosóficos e científicos, influenciam premissas básicas para suas ações.  Nessa época, sob a lógica “o deficiente pode se integrar na sociedade”, buscava-se a oferta de ambientes menos restritivos para sua educação, o que influenciou os textos normativos e outros caminhos, até se chegar à atualidade, influenciada pelos princípios e diretrizes da inclusão social, que tem desdobramentos nas políticas públicas diversas.


Link
Notícias Relacionadas »