25/11/2016 às 16h12min - Atualizada em 25/11/2016 às 16h12min

POLICIA AMBIENTAL PRENDE DOIS HOMENS POR MANTER EM CATIVEIRO AVES SILVESTRES

Fonte: Dep. de Jornalismo Milenium Fm

Uma das equipes de policiamento da 2ª Cia da Policia Ambiental de Londrina realizava bloqueio de via e fiscalização de veículos juntamente com uma equipe da 2ª Cia de Polícia Rodoviária,  na rodovia que liga a cidade de Jaguapitã a Astorga, próximo ao trevo de acesso a cidade de Jaguapitã.

A ação tinha por objetivo a fiscalizar veículos com o propósito de coibir o transporte de produtos de origem vegetal e animal, principalmente produtos decorrentes da atividade pesqueira,  haja vista o período da piracema, que começou no dia 01 de novembro de 2016 e deverá terminar no dia 28 de fevereiro de 2017.

Um dos veículos abordados, o fiat AYH-7119, transportava em seu porta-malas uma ave silvestre da espécie “sabiá laranjeira”, o qual segundo relato do motorista e acompanhante, Claudinei de  Freitas, vulgo “Nei” e José Antônio dos Santos respectivamente, teria sido levado até uma área de mata ciliar para treino de canto.

Os policiais não convencidos da versão apresentada pelos ocupantes do veículo e certos de que estavam diante de caçadores de aves silvestres, haja visto as contradições apresentadas, bem como outros elementos de convicção encontrados no veículo, a equipe deslocou até as residências de ambos, onde constatou que se tratava de criadores amadores de passeriformes com registro ativo junto ao IBAMA, como também infratores contumazes da legislação que protege o meio ambiente, pois nas residências foram encontradas diversas aves silvestres sem o devido registros e, diversas outras com os anéis de identificação oficial expedido pelo IBAMA com evidentes sinais de adulteração e falsificação, além de instrumentos próprios para a finalidade de adulterar anilhas para sua colocação em aves capturadas na natureza a fim de dar aspecto de legalidade ao seu plantel.

Os infratores foram presos pelos crimes de violação/falsificação de anilhas oficiais de identificação (art 296 CP) e manutenção ilegal de espécies da fauna silvestre em cativeiro (art 29 da le 9.605/98), bem como tiveram todos os instrumentos e as aves aprendidas, sendo que aquelas que não apresentavam irregularidades foram deixadas na condição de fieis depositários, enquanto que as demais foram recolhidas para encaminhamento a entidade capaz de proceder sua readaptação à natureza.


Link
Notícias Relacionadas »