24/05/2016 às 16h03min - Atualizada em 24/05/2016 às 16h03min

Praça Getúlio Vargas

- Jair Garcia Martins (Jair Padeiro)

Oi, gente, um forte abraço. O nosso último texto foi “As andorinhas não voam mais”. Na crônica de hoje vou escrever falando da suma importância que tem uma praça pública, se ela é pública ela é um bem do patrimônio público, e por esse motivo deve, sim, ser muito bem cuidada pelo poder público e também por todos aqueles ou aquelas que usufruem dos seus benefícios.

Aqui na cidade de Uraí temos três praças, são elas: Manjiro Watanabe, Praça da Paz e a Praça Getúlio Vargas, que nós todos conhecemos por Praça Matriz; e é sobre esta que vou escrever...

Se nossa praça pudesse conversar conosco e nos dizer algumas coisas, falaria sobre si mesma, sobre a beleza que ela teve no passado; ou, quem sabe ainda, faria um lamento sobre a sua atual aparência, sobre o seu abandono que vem de vários anos, talvez seria mais ou menos assim. Veja a nossa nova mensagem.

“Eu sou a Praça Getúlio Vargas, fui criada em Uraí ainda no início dos primeiros povoados, sou antiga aqui nesse solo tão amado por todos os uraienses. Em dimensões, ocupo todo um quarteirão de área verde (ou ao menos era...), e estou localizada bem no coração da cidade. Por minha vasta beleza eu sou, mesmo que não tão imponente como fui um dia, o cartão postal da cidade. Eu, a Praça Getúlio Vargas, sou hospitaleira, amável e muito acolhedora, e estou ao seu dispor tanto à luz solar do dia quanto à luz lunar da noite. Tempos atrás eu podia dizer: - Veja como sou arborizada, sombras em minhas planícies há de sobra: atrás de cada banco pode-se ver uma árvore fazendo uma bela sombra, e em meu amplo pátio as crianças brincam ao som do cantar dos passarinhos. - Veja como é belo o meu gramado, olhe o multicolorido das flores que são plantadas em meu jardim. Veja os arbustos, as árvores onde repousam as andorinhas logo após uma revoada por sob do céu azul. Também, pudera! Sou muito bem zelada, tenho um jardineiro que cuida de mim com muito carinho, rega minhas flores, me capina, poda minhas árvores e corta o meu gramado; e durante a noite, um guarda me vigia para que vândalos não me danifiquem. O poder público investe nos cuidados e na segurança sobre mim e por esse motivo sou tão bonita. Venha me visitar, eu estou à sua espera. Eu sou a Praça Getúlio Vargas, um grande orgulho do povo uraiense!”

 querido povo de Uraí, será que é difícil vermos aqui uma praça com essa que foi mencionada? Creio que não... De quem é a culpa? A nossa praça está na UTI...

A culpa é exclusiva da atual administração? Não. A praça da Matriz está abandonada já por muito tempo. Seu drama começou foi num domingo de manhã, quando a praça ferveu com um bando de “gafanhotos” com uma motosserra amarelinha derrubando quase todas as árvores, sem dar nenhum motivo, apenas com a vã promessa de uma nova arborização, que, aliás, nunca aconteceu. E a partir daí, a praça foi se desfazendo, o tempo, o descaso e o abandono levaram embora a beleza da Praça Getúlio Vargas.

Vejam, meus amigos, que o que eu estou escrevendo não é um exagero. Vocês se lembram da nossa praça no tempo do nosso prefeito ecológico, o Dr. Wanderley Boseli Dantas? Que saudades do nosso prefeito ecológico... O poder público não poderia deixar a praça chegar ao estado lamentável em que chegou. Cadê as árvores que cobriam os bancos? Cadê os pássaros que voavam de uma árvore para outra?  Onde está o multicolorido das flores que formavam os jardins por entre os gramados? Onde estão os arbustos nos quais as andorinhas repousavam logo após uma revoada debaixo de céu azul? Cadê o aglomerado de pessoas que passeavam por nossa praça? A praça está vazia, os bancos estão embaixo de um sol escaldante, sujos e abandonados. A mureta que separa o pátio do gramado está quebrada, jogada ao chão em vários lugares. E o mais lamentável é algo que desperta a curiosidade de muita gente: vejam as enormes pedras que estão jogadas por cima do gramado, além de estarem virando um criame de formigas e outros insetos, o gramado na segunda-feira amanhece repleto de copos descartáveis, papeis e garrafas jogadas por toda parte; a nossa praça está abandonada há muitos anos.

Como, então, seria novamente possível vermos a praça fluir, florir e ser bela novamente como era no passado? Da seguinte maneira: uma praça só consegue ser bela se nela tiver um jardineiro que trabalha com amor, e não apenas pelo salário, um jardineiro que capina, que planta, que rega que poda as árvores e o gramado.

Uma praça pública tem por obrigação ter um ou até dois guardas noturnos para se impedir que ela fique a mercê de vândalos, isso custaria para os cofres públicos não mais que alguns salários mínimos, e a praça com certeza voltaria a ser bela como no passado. O poder público precisa investir na praça. É lamentável o que estamos vendo, nós temos dois secretários do meio ambiente comandando a devastação, o corte das árvores pelas ruas, mas não temos ninguém cuidando da praça.

A Praça Getúlio Vargas, que todos a tem como Praça Matriz, merece mais cuidado por parte das pessoas que usufruem dos seus benefícios e, principalmente, precisa de mais investimentos por parte dos poderes públicos.

A intenção desse meu texto não é ofender ninguém, sei que assim como eu, ainda existem muitas pessoas que se importam com nossa querida Praça, nosso patrimônio! E sei também que o desejo de todos os uraienses, em relação a isso, é ver a Praça Getúlio Vargas voltar a ser bela como antes, uma linda e verdejante paisagem em meio à prédios e casas, um lugar onde possamos sentar à sombra fresca e ver nossos filhos e netos brincando ao cantar dos passarinhos!

 

14/05/2016


Link
Notícias Relacionadas »