09/11/2015 às 09h44min - Atualizada em 09/11/2015 às 09h44min

Caminhoneiros iniciam protestos em rodovias da região de Londrina

BONDE

A paralisação nacional dos caminhoneiros, programada para esta segunda-feira (9), começou tímida na região de Londrina. No início da manhã, cerca de dez pessoas se agruparam no km 158 da BR-369, embaixo do pontilhão da PR-445. Munidos de faixas, elas reclamam da alta dos preços de combustíveis e da gestão da presidente Dilma Rousseff (PT). 

De acordo com informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), o grupo chegou a colocar pneus na rodovia, mas o material foi retirado pelos agentes e, pelo menos até as 9h, o trânsito fluía normalmente no trecho. Outro grupo de caminhoneiros realiza protesto na PR-445, entre Londrina e Cambé. Apesar da manifestação, também não há bloqueio de caminhões na rodovia estadual, conforme a PRF. 

Já em Apucarana, nos quilômetros 245 e 252 da BR-376, os manifestantes fazem o bloqueio total da pista e impedem o tráfego de carretas e caminhões carregados. Segundo a PRF, os carros estão sendo liberados, mas precisam passar pelo acostamento para seguir viagem. "Fica a orientação para que o motorista, mesmo liberado, passe com muito cuidado pelos pontos e evite, assim, qualquer tipo de desentendimento ou confronto com os manifestantes", alertou o inspetor Sérgio Oliveira, da PRF. 
 

Reprodução/WhatsApp Grupo Folha
Reprodução/WhatsApp Grupo Folha

Reprodução/WhatsApp Grupo Folha



Ele garantiu, ainda, que os agentes federais seguem monitorando e acompanhando as manifestações dos caminhoneiros, com o objetivo de evitar que mais pontos das rodovias sejam bloqueados. 

A polícia registra outros pontos de bloqueio nos quilômetros 11 (Paranavaí) e 133 (Nova Esperança) da BR-376, onde caminhões também estão sendo parados pelos manifestantes. 

Já na BR-277, no km 667, cerca de 200 pessoas fecham os dois sentidos da rodovia. Os caminhoneiros deixam passar apenas veículos de emergência. Segundo a PRF, o movimento tem apoio de empresários da região. Na mesma rodovia, mas na região de Guarapuava, centro do estado, a categoria realiza a interdição parcial, causando filas e lentidão.


Link
Notícias Relacionadas »