09/09/2015 às 10h18min - Atualizada em 09/09/2015 às 10h18min

Cuidado! Contato com cães e gatos pode causar queda de cabelo

bonde

Ter animais de estimação, principalmente cães e gatos, é comum em quase todos os lares brasileiros. Porém, nem sempre esses animais podem trazer benefícios para a saúde dos donos. Por conta de uma higiene incorreta dos pets é muito comum encontrar fungos nos pelos desses animais, que podem ser transmitidos a seus donos por meio do contato direto, causando problemas sérios como queda de cabelo e micose. 

Para Sônia Mesquita, técnica em tricologia e especialista em cuidados com o couro cabeludo, de Fortaleza (CE), as pessoas desconhecem que uma das causas da queda do cabelo são os fungos, que, em muitos casos, vivem nos pelos dos animais. "Os fungos são uma infecção micótica que pode aparecer em qualquer parte do corpo. No caso da cabeça, são conhecidos por ficar no couro cabeludo, causando transtornos graves se não identificados e tratados a tempo. A calvície temporária, por exemplo, pode chegar à perda completa dos fios". 
 

Reprodução
Reprodução

Reprodução



Quando o fungo passa do pelo do animal para o cabelo humano, ele geralmente surge com a formação de um pequeno grão que progressivamente aumenta de tamanho, deixando áreas escamosas no couro cabeludo. Para tentar evitar problemas como esse, Sônia explica que o segredo é a assepsia adequada. "Lavar os fios de maneira correta, usando xampu com pH neutro e escová-los com pentes de cerdas finas e juntas ajuda a limpar o couro cabeludo, evitando o acúmulo de fungos e outros tipos de sujeira. Outra medida é lavar os cabelos todos os dias". 

Ainda segundo Sônia, é comum que as pessoas demorem para perceber a presença de fungos no couro cabeludo. "Elas encaram a área do cabelo como um lugar fácil de tratar, ou seja, que não merece muita atenção. Mas alguns sinais como coceira e vermelhidão ou inchaço no local precisam ser investigados, pois podem indicar problemas causados por fungos". 

Se você se identificou com os sintomas, não se desespere. Mesmo que o diagnóstico seja confirmado por um especialista, não é preciso desapegar do seu pet, mas sim intensificar a higiene e tomar cuidado com o contato excessivo. "Os pelos dos animais são tão sensíveis quanto nosso cabelo. Portanto, se houver banhos completos e frequentes, as chances de fungos se alojarem nos pelos é bem pequena, diminuindo também a chance de o dono adquirir alguma doença parecida", conclui a especialista


Link
Notícias Relacionadas »