26/05/2015 às 09h46min - Atualizada em 26/05/2015 às 09h46min

Juristas e professores protocolam pedido de impeachment de Richa

Grupo alega que o governador é responsável por confronto em 29 de abril. Petição deve ser analisada pela secretaria-geral da Assembleia Legislativa.

g1.globo.com/pr/parana

Um grupo de juristas e professores universitários entregou na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), nesta segunda-feira (25), um pedido de impeachment do governador do estado, Beto Richa (PSDB). Segundo os organizadores, o governador é responsável pelo confronto entre policiais e manifestantes, que deixou mais de 200 pessoas feridas, no dia 29 de abril deste ano.

A petição pelo impeachment do governador foi divulgada pela internet e recebeu mais de 6,2 mil assinaturas a favor da cassação do mandato do governador. O pedido deve ser analisado pela secretaria-geral da Alep, antes de seguir os trâmites dentro da Casa. Os funcionários do setor vão avaliar juridicamente a procedência do pedido.

G1 entrou em contato com a Presidência da Assembleia Legislativa que informou apenas que vai aguardar a análise da secretaria-geral.

Greve
A maioria dos manifestantes que entrou em confronto com a Polícia Militar era de professores da rede estadual de ensino, que entraram em greve pela segunda vez. O estopim do movimento foi um projeto de lei que alterou a gestão dos recursos da previdência estadual. O texto foi aprovado pelos deputados e sancionado pelo governador.

Os professores emendaram a greve em virtude do projeto de lei com um pedido de aumento salarial. Eles querem que o governo reponha, no mínimo, a inflação de 2014, que ficou fixada em 8,17%.

Governo estuda impacto
O Governo do Paraná anunciou, na segunda-feira (18), que ainda estudava o impacto financeiro do reajuste, fixado em 5%, antes de encaminhá-lo para apreciação dos parlamentares. Em nota, o governo disse que o estudo deveria ser concluído nos próximos dias.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »