14/05/2015 às 09h32min - Atualizada em 14/05/2015 às 09h32min

Gasolina já está mais cara em Curitiba

Fonte: FolhadeLondrina

Os postos de Curitiba iniciaram ontem um movimento de alta da gasolina de aproximadamente R$ 0,30 por litro. De acordo com gerentes de postos consultados pela reportagem da FOLHA, a concorrência do mercado tinha levado os preços na capital para baixo e agora estaria ocorrendo uma recomposição da margem de lucro. A gasolina foi encontrada em Curitiba por até R$ 3,39 o litro, mas ainda havia postos com preços antigos nas bombas ontem. A tendência é que ocorra um novo repasse de custos para o consumidor final já que o Sindicombustíveis-PR está finalizando a negociação da data-base dos frentistas nesta semana, o que deve afetar os preços no Estado todo. 

Na semana passada, o preço médio da gasolina em Curitiba era de R$ 3,05 e do etanol de R$ 2,04, segundo levantamento realizado pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Em Londrina, por enquanto, não houve alteração de preços e a gasolina é vendida ao valor médio de R$ 3,37 e o etanol a R$ 2,37, ainda segundo a ANP. 

O presidente do Sindicombustíveis-PR, Rui Cichella, informou através da assessoria de imprensa que o sindicato não comenta preços, porque os valores praticados no mercado são livres. O diretor do sindicato em Londrina, Cláudio Mônaco, disse que os preços em Curitiba estavam muito abaixo da média nacional, mas também esclareceu que a entidade não se envolve em questões relacionadas a preços. 

Segundo ele, tudo pode refletir nos preços, como reajuste salarial dos trabalhadores, energia elétrica, água, aluguel e impostos. De acordo com informações do Sindicombustíveis, os trabalhadores de postos pediram um reajuste salarial neste ano de 15%. O sindicato patronal ofereceu apenas a inflação calculada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) de 8,34%. Hoje são 2.700 postos no Estado e 30 mil funcionários. Ainda conforme o sindicato, a expectativa é fechar o acordo da data-base nesta semana. O reajuste será retroativo a 1º de maio. 

Ontem, a reportagem encontrou um posto no bairro Ahú, em Curitiba, que ainda vendia a gasolina a R$ 2,99. O etanol era comercializado por R$ 1,99 o litro. Segundo informações dos funcionários, o posto sempre tem um preço menor em relação aos concorrentes porque só aceita pagamento em dinheiro ou cartão de débito e não recebe através de cartão de crédito. 

Com o aumento do preço da gasolina, o etanol está mais competitivo na cidade. Vale a pena abastecer com etanol quando o preço desse combustível não ultrapassar 70% do valor da gasolina. Em Londrina, o etanol também é o combustível mais indicado no momento. 

O corretor de imóveis Ciro Duarte Castro disse que, para o consumidor, o aumento de preço é horrível. Ele contou que, no ano passado, gastava R$ 300 por mês com combustível e, neste ano, o valor fica entre R$ 600 e R$ 700. Como ele usa o carro no trabalho, procura montar todo dia uma trajetória dos locais que precisa visitar para não ter gastos extras. Costuma sempre andar com um mapa de papel no carro para ajudar nesta tarefa diária. 

"A gente se obriga a pagar (o preço)", lamentou o advogado Felipe Cavassin. Ele conta que gasta cerca de R$ 200 por mês, mas utiliza o carro mais para viajar. Vai ao trabalho de bicicleta, sempre que possível, para economizar.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »