27/02/2015 às 17h02min - Atualizada em 27/02/2015 às 17h02min

Cerca de 1,5 mil frangos morrem por falta de ração em granja no Paraná

G1

Cerca de 1,5 mil frangos morreram de fome em uma granja de Jataizinho, no norte do Paraná, devido aos protestos dos caminhoneiros. Segundo o proprietário Carlos Valini, a ração acabou na segunda-feira (23), e por conta dos bloqueios nas estradas da região, o caminhão carregado com ração não conseguiu chegar a propriedade. Os frangos morreram pois não havia alimento.

A granja tinha 64 mil frangos já prontos para o abate. Destes, 39 mil conseguiram ser retirados e encaminhados para frigoríficos na noite de quinta-feira (26).  O restante deve ser levado para o abate até domingo (1º).

O problema só foi resolvido no final da manhã desta sexta-feira (27), quando o proprietário recebeu uma carga com 15 toneladas de ração. Como algumas rodovias da região foram liberadas entre quinta e sexta-feira, o veículo conseguiu chegar.

“Na segunda-feira, meus frangos estavam no ponto de abate, mas [os caminhoneiros] fecharam as rodovias e não deixaram os caminhões buscarem nossas aves. Os manifestantes alegam que deixam passar aves vivas, porém não liberam caminhões vazios para buscar os animais. Com isso, as aves não se alimentam direito, não têm forças nem para beber água, e acabam morrendo”, conta Valini.

Valini diz que ainda não foi possível calcular o prejuízo com as perdas. “É horrível. A gente trabalha 45 dias, em dois turnos, e você vê os frangos sofrendo sem poder fazer nada. O prejuízo é sem tamanho”, lamenta o proprietário.

Para evitar a contaminação do solo, as aves mortas são colocadas em uma composteira. “É para seguir as leis ambientais. A gente não coloca diretamente no solo. É feita uma cama aviária. Após uns 20 dias elas decompõem e é possível levar para adubo orgânico", explica o dono da granja.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »