25/08/2014 às 10h02min - Atualizada em 25/08/2014 às 10h02min

Presos são decapitados durante rebelião em Cascavel (PR): veja fotos e video

Negociação para colocar fim na rebelião em Cascavel é suspensa

jornalrondoniavip

Cerca de 500 detentos da Penitenciária Estadual de Cascavel, no Paraná, iniciaram na manhã deste domingo (24) uma rebelião. O grupo faz agentes penitenciários reféns e também mantinha, nesta tarde, alguns presos contrários à rebelião como reféns. 

A ação teria começado por volta das 6h, logo após o café da manhã dos presos. De acordo com informações iniciais da Polícia Civil, uma das celas teria ficado destrancada e os detentos desta carceragem saíram e liberaram outros. 

No momento em que a rebelião começou, dez agentes estavam de plantão no local, que conta com cerca 1.040 detentos cumprindo pena. Nove estariam ainda dentro da unidade prisional. Os presos colocaram fogo em colchões e objetos e cerca de 80% da unidade prisional estaria destruída. A reinvindicação principal do grupo é por melhores condições carcerárias. 

Além disso, há informações de que presos teriam sido decapitados e ao menos dois teriam sido jogados do telhado do presídio. Impedidos de entrar no local para fazer o atendimento dos feridos, o Corpo de Bombeiros aguarda do lado de fora.

O Pelotão de Choque da polícia paranaense também foi acionado, assim como o juiz da vara de execuções penais. Policiais especialistas em negociações também chegaram ao local. Os profissionais foram deslocados de Curitiba.

As negociações para colocar fim na rebelião na Penitenciária Estadual de Cascavel, no Oeste do Paraná, foram suspensas pela Polícia Militar e pela Secretaria Estadual de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos (Seju)e devem ser retomadas por volta das 7 horas desta segunda-feira (25). Com isso, o motim deve continuar durante a madrugada. Houve a confirmação de quatro presos assassinados. Dois deles foram decapitados e há, pelo menos, mais um ferido gravemente.

O motim começou por volta das 6h30 deste domingo (24). Estima-se que 800 detentos participem diretamente da revolta. Dois agentes penitenciários foram feitos reféns e ainda estavam nas mãos dos presos na noite deste domingo. Outros detentos, que se recusam a aderir ao movimento dos rebelados, também estão como reféns na penitenciária. A Seju deve se pronunciar sobre o fato na segunda-feira (25), segundo informações da assessoria de imprensa.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »