31/01/2014 às 13h52min - Atualizada em 31/01/2014 às 13h52min

Jovem é atropelado pela PM após perseguição e perde a perna

Rapaz de 19 anos voltava do trabalho para casa quando teria sido atropelado por viatura que o perseguia

http://www.tanosite.com/

Um rapaz de 19 anos teve uma das pernas amputada depois de ser atropelado por uma viatura da Polícia Militar que perseguia a motocicleta que dirigia pelas ruas da Vila São Pedro, na periferia de Jacarezinho. Fábio Júnior Brandão dos Santos voltava do trabalho para casa, no começo da noite de quarta-feira, 30, quando o acidente aconteceu. Ele teve fratura exposta na perna esquerda. A vítima chegou a ser socorrida e levada ao Pronto Socorro da Santa Casa de Misericórdia, mas devido à gravidade da fratura ele teve o membro amputado. 
Ontem, se recuperando do acidente em um dos quartos do hospital, ele contou que não entendeu porque era perseguido pela polícia e revelou que parou a moto que dirigia assim que os policiais deram ordem de parada. “Percebi que eles estavam me seguindo, mas como não houve ordem continuei. Quando eles ligaram o giroflex da viatura eu parei, desci da moto e aguardei na calçada. A viatura veio, bateu na moto e deu marcha a ré me derrubando e passando em cima da minha perna”, contou. 
O acidente aconteceu na rua Amazonas, a poucos metros da casa do jovem. A cena teria sido presenciada por pelo menos seis testemunhas. Fábio Santos tinha terminado uma jornada de trabalho de oito horas no supermercado onde trabalha como estoquista a um ano e meio e ainda estava com o uniforme da empresa. “Nunca tive passagens pela polícia. Trabalho desde muito jovem. Não precisavam ter feito isso”, desabafa que ainda revelou que ele foi revistado ainda no chão, logo após o acidente. 
A vítima ainda revela o desespero do policial que dirigia a viatura logo que percebeu o que tinha acontecido. “Ele (o policial) se ajoelhou perto de mim e pediu perdão”, conta. Os próprios policiais acionaram o Samu para socorrer Fábio Santos. 
Para ele e para a sua esposa, Daniele Soares, o que aconteceu não foi um acidente. “Foi proposital. Não tinha necessidade de fazer aquilo. Meu marido já tinha deixado a moto. Eles deram marcha à ré. Isso não foi acidente. Foi proposital”, diz Daniele. 
Apesar da gravidade dos ferimentos, Fábio Santos se recupera bem da tragédia. Ele deve ficar internado por pelo menos mais cinco dias. Ontem ele recebeu a visita de amigos e de profissionais da imprensa, assim como de um advogado. Ele pretende acionar o Estado judicialmente. 

A versão da PM 

Ainda ontem o tenente-coronel Antônio Carlos de Morais, comandante do 2º Batalhão de Polícia Militar, com sede em Jacarezinho, disse que já determinou a abertura de um Inquérito Policial Militar para investigar o caso. O oficial disse ainda que vai solicitar ao Ministério Público que acompanhe as investigações. “Determinei o maior zelo na condução das investigações. Se houve excesso haverá punição”. 
O comandante reconheceu a gravidade do ocorrido, mas justificou que os dois policiais que estavam na viatura que atropelou Fábio Santos – identificados apenas como cabo André e soldado Vinicius - cumpriam seu dever e investigavam uma denúncia de tráfico de drogas. Ele disse que os dois policiais são experientes e com mais de 10 anos na corporação sempre com conduta exemplar. Segundo o comandante, o rapaz fugiu em alta velocidade quando percebeu que era acompanhado pela viatura e que acabou caindo da moto na rua Amazonas. “A viatura vinha logo atrás e não conseguiu evitar o choque”, explica. 
Para o comandante, como dirigia em alta velocidade, o rapaz passou a ser um suspeito. Depois do acidente a PM descobriu que a vítima dirigia sem habilitação e a motocicleta estava em nome de um parente. 
O comandante ainda não ouviu os dois policiais. Segundo ele, os dois se feriram no acidente e passaram o dia de ontem em casa se recuperando. O tenente-coronel também não falou com Fábio Santos. Segundo ele, como já determinou a instauração do inquérito, todos os envolvidos serão ouvidos oficialmente em breve. 
A Polícia Civil informou que ainda não recebeu informações oficiais sobre o caso, nem tão pouco solicitou uma perícia técnica no local do acidente. 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »