11/03/2013 às 17h07min - Atualizada em 11/03/2013 às 17h07min

MP denuncia médica por 7 mortes e formação de quadrilha

Outros três médicos, três enfermeiros e uma fisioterapeuta também foram denunciados

tanosite.com

O Ministério Público do Paraná (MPPR) ajuizou nesta segunda-feira (11) a denúncia contra oito pessoas suspeitas de envolvimento na antecipação de mortes no Hospital Evangélico de Curitiba. A ex-chefe da Unidade de Terapia Intensiva (UTI), Virgínia Soares de Souza, é denunciada por sete homicídios duplamente qualificados, além de formação de quadrilha. O MPPR também entregou denúncia contra mais sete pessoas.

As denúncias foram ajuizadas pela Promotoria de Justiça de Proteção à Saúde do MPPR e se referem a suspeitas de homicídios no período de janeiro de 2006 a fevereiro de 2013. Além dela, outros três médicos foram acusados nas denúncias do MPPR: Anderson de Freitas (dois homicídio duplamente qualificados e formação de quadrilha) e Edson Anselmo da Silva Junior e Maria Israela Cortez Bocatto (cada um por um homicídio duplamente qualificado e formação de quadrilha).

Três enfermeiros também foram denunciados pela promotoria: Lais da Rosa Grossi e Patrícia Cristina de Gouveia Ribeiro, ambas por um homicídio duplamente qualificado e formação de quadrilha. O outro enfermeiro, Claudemir Machado Nunes, e uma fisioterapeuta, Carmencita Emília Minozzo, são acusados por formação de quadrilha.

Virgínia Soares de Souza foi presa no dia 19 de fevereiro enquanto trabalhava no Hospital Evangélico.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »