20/09/2012 às 18h00min - Atualizada em 20/09/2012 às 18h00min

Policia federal deflagra "Operação Iguaçu - Agua Grande"

E classifica Sanepar como "empresa de fachada"

http://www.jtribunapopular.com.br

 

A Polícia Federal vem investigando a SANEPAR e concluiu que a companhia cobra do usuário pelo tratamento de esgoto, mas não executa o serviço. O Delegado da Policia Federal também afirma que todas as estações da Sanepar atuam ilegalmente e que a empresa foi considerada a maior poluidora do Rio Iguaçu.

O alvo da “Operação Iguaçu – Água Grande”, que apura casos de poluição no Rio Iguaçu, aCompanhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) foi classificada pela Polícia Federal (PF) como uma “empresa de fachada”. Segundo o delegado Rubens Lopes da Silva, a companhia cobra dos usuários pelo tratamento de esgoto, mas não executa os serviços. As investigações apontam que todas as estações da Sanepar atuam de forma ilegal no estado. Por conta disso, a PF vai indiciar 30 gestores da empresa por estelionato. A empresa promete se pronunciar até o fim do dia.

A PF também apontou a Sanepar como “a maior poluidora do Rio Iguaçu”. As investigações revelam que 20% das estações de tratamento de esgoto da companhia atuam clandestinamente: elas sequer existem juridicamente e funcionam sem licenças de operação. Segundo a PF, a companhia lança os efluentes em cursos d água sem qualquer tratamento, em "clara agressão ambiental à coletividade, à fauna e à flora".

Nesta quinta-feira, a PF e o Ibama cumpriram 30 mandados de busca e apreensão em 19 cidades do Paraná. De acordo com o delegado Rubens Lopes da Silva, a própria Sanepar elaborava relatórios internos sobre o lançamento de efluentes nos rios e sobre o impacto ambiental causado. Os documentos, no entanto, eram considerados sigilosos e só circulavam dentro da empresa.

Há cerca de cinco anos, a Sanepar não repassa ao Ibama documentos exigidos sobre o tratamento de esgoto. Por conta disso, há 1,8 mil dias a companhia tem sido autuada, com multa diária no valor de R$ 20 mil.

Até o fim da manhã desta quinta-feira, outras quatro multas diárias, somando R$ 200 mil, foram aplicadas pelo Ibama. A estimativa é de que mais autos de infração sejam lavrados até o fim desta quinta-feira.

As investigações da “Operação Iguaçu – Água Grande” começaram em 2009. Até esta quinta-feira, as equipes percorreram – de helicóptero e de barco – mais de 15 mil quilômetros e coletaram mais de 430 análises laboratoriais em material, encaminhados principalmente à Unicamp.

A operação consiste no cumprimento de 30 mandados de busca e apreensão na sede da Companhia de Saneamento do Paraná – SANEPAR em Curitiba, além das sedes regionais da empresa nas cidades de Londrina, Maringá, Ponta Grossa, Cascavel, Apucarana, Arapongas, Campo Mourão, Cornélio Procópio, Foz do Iguaçu, Guarapuava, Matinhos, Santo Antonio da Platina, Telêmaco Borba, Toledo, Umuarama e União da Vitória.

Outros poluidores

O delegado da PF informou que, além da Sanepar, outros 180 suspeitos de poluírem o Rio Iguaçu também estão sendo investigados. Nesta etapa, no entanto, foram revelados detalhes apenas da companhia de saneamento, por apresentar o maior volume de irregularidades. Os trabalhos devem continuar.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »