14/09/2012 às 17h12min - Atualizada em 14/09/2012 às 17h12min

Caos na saúde - Criança de um ano de idade agoniza por 6 horas em Santo Antônio da Platina

anuncifacil.com.br

 

A manhã de quinta-feira (13), foi de muita agonia para a família do garoto Gabriel Bento Arruda, de apenas um ano e seis meses, morador no Bairro Sindicato, em Santo Antônio da Platina. Com quadro grave de pneumonia e risco de morte, ele teve que esperar mais de 6 horas pela liberação de uma vaga em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) neonatal e pela definição da ambulância que faria a remoção.

Gabriel passou pelo Pronto Socorro na tarde de quarta-feira (12), foi consultado e liberado pelo médico Sandro Pereira, porém às 6 horas de quinta-feira, apresentou febre alta e teve de retornar para o PS. Após examiná-lo, o plantonista German Gonzalez diagnosticou a pneumonia e requereu uma vaga com urgência na Central de Leitos.

Para piorar a situação, não havia vagas disponíveis no sistema. O Conselho Tutelar e a promotora Maricleia Bório tiveram que intervir. Por volta das 10 horas, um leito de UTI neonatal foi liberado no Hospital da Providência Materno Infantil de Apucarana, na região de Londrina. Faltava o transporte.

O drama aumentava à medida que o tempo passava. Sem uma UTI Móvel disponível, chegou-se a cogitar o uso de transporte aéreo militar na remoção, porém as negociações não avançaram e Gabriel foi levado em uma Unidade de Transporte Avançado do Samu de Jacarezinho por volta do meio-dia, após mais de 6 horas de espera.

Acompanhado do pai, o pintor Fernando Arruda, o menino seguiu até Cornélio Procópio, onde trocou de ambulância, e deu entrada no Hospital em Apucarana às 16 horas. Até o início da noite, o hospital não havia divulgado detalhes do estado de saúde de Gabriel.

Sem condições emocionais de seguir viagem, a mãe, Elaine Cristina Bento Coelho, foi amparada por parentes até a casa. Ela se revoltou com o médico que liberou o menino no dia anterior. “Pneumonia? Eu trouxe meu filho no médico ontem, como que ele não viu?”, disse, aos prantos. Elaine contou que Gabriel é portador de necessidades especiais e que faz tratamento no Hospital Pequeno Príncipe, em Curitiba.

UTI Desativada

Todo o transtorno com a transferência poderia ter sido evitado se a região contasse com a especialidade. Desativada há três meses, a UTI neonatal que funcionava no Hospital Nossa Senhora da Saúde, em Santo Antônio da Platina, era referência neste tipo de atendimento para toda a região.

Após fechar a unidade, o governo estadual anunciou a reabertura dos oito leitos no Hospital Regional do Norte Pioneiro, no mesmo município, mas não há previsão de inauguração que depende ainda de adequações que estão sendo feitas no prédio do HR. O fechamento da UTI neonatal revoltou a comunidade.

A indignação da comunidade é tão grande que um morador de rua, que assistia ao desespero da mãe em frente ao hospital disparou: “Coitadinha, foram acabar com os médicos das criancinhas. Que Deus acompanhe esse menino pela estrada”, abençoou e, sem se identificar, voltou para o cochilo em um pedaço de grama que restou da antiga Praça São Benedito.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »