14/09/2012 às 15h29min - Atualizada em 14/09/2012 às 15h29min

Siriema é resgatada de cativeiro na área urbana de Londrina

londrina.odiario.com

 

Uma siriema de cerca de 50 centímetros de altura e pesando aproximadamente dois quilos foi resgatada de dentro de uma casa, no início da noite desta quinta-feira (13), pela Polícia Militar Ambiental em Londrina. A ave foi encntrada por moradores e estava dentro de um imóvel no Conjunto Maria Cecília, na zona norte da cidade. 

Uma ligação telefônica dos moradores para a Polícia Ambiental, de que haveria uma ave de grande porte na casa, levou soldados até a Rua Matilde Alves Sposito. No local, foi encontrada a ave que se apresentava muito estressada. Após o resgate, a siriema foi encaminhada a um médico veterinário para constatar o estado de saúde. Foi constatado que ela não tem sinais de adestramento e deve ser solta novamente em área de preservação ambiental.

Segundo o comandante da 2ª Companhia da Polícia Militar Ambiental com sede em Londrina, capitão Ricardo Eguedis, como o proprietário do imóvel fez a entrega voluntária da ave, e foi constatado que ela não apresentava sinais de maus tratos, não houve qualquer sanção aplicada contra ele. "Se a pessoa faz a entrega vonluntária de um animal silvestre, a gente recolhe e faz a destinação adequada para ele. Por este motivo, não é aplicada qualquer punição. A não ser que o animal apresente sinais de maus tratos. Mas cada caso é analisado com muita atenção", salientou.

A seriema, sariema ou siriema é uma ave nativa de médio porte, terrestre, que prefere correr a voar. Ela é típica do cerrado, imponente, de cauda longa e crista formada por um tufo de penas, que mede aproximadamente 12 centímetros. Em contato com os humanos, as seriemas são sempre desconfiadas e quando se sentem ameaçadas por eles, costumam abrir suas asas e enfrentá-los, podendo gerar pequenos ferimentos em decorrencia de seu bico.

Ela se alimenta basicamente de roedores, insetos e pequenos répteis, como lagartos e cobras. Costumam matar suas presas jogando-as várias vezes contra o chão. Este tipo de animal, embora não seja raro na região, possui poucos espécimes, e por isto deve ser cuidada para que se restabeleça e a participação de todos é muito importante para a preservação destas vidas.

A Polícia Ambiental informa que o trabalho para conservação e manutenção de todos os espécimes de flora e fauxa existentes na região de atendimento da instituição tem contado com o apoio da comunidade que tem realizado denúncias anônimas, facilitando no atendimento deste tipo de ocorrência. As pessoas odem se comunicar pelo telefone 0800 643-0304 (ligação gratuita) ou pelo telefone (43) 3341-7733.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »