12/09/2012 às 16h46min - Atualizada em 12/09/2012 às 16h46min

Ao lado de alta tecnologia, carro-de-bois vira atração

www.folhaweb.com.br

 

 

Transporte chama atenção nas feiras e emociona os mais antigos
Edson Lima trabalha como amansador dos bois: ‘‘Esse trem só vai morrer quando eu parar’’
Nem sempre o que existe de mais moderno em termos de tecnologia é o que mais chama a atenção nas feiras agropecuárias que se realizam em várias cidades do Norte Pioneiro. Isto é o que pode ser observado na 15 Exposição Agropecuária, Industrial e Comercial da Região de Cornélio Procópio (Expocop), que terminou domingo passado. Ao lado de máquinas de última geração, circulava um carro-de-bois por várias ruas do parque com a carroceria cheia de crianças. 

A espécie de carroça era puxada por quatro duplas de bois, todos com chifres tão inclinados que formavam um semicírculo. A lentidão do carro, com duas grandes rodas de madeira que rangem ao andar, mais parecia uma volta ao tempo. 

O carro-de-bois foi levado para a exposição pelo empresário João Francisco Vilela de Carvalho, que faz questão de manter uma antiga tradição familiar iniciada pelo pai dele em Minas Gerais. O meio de transporte era usado para levar o café da lavoura para o terreirão onde era colocado para secar. 

''Meu pai fez o cruzamento de vacas Gir com touros Caracu porque estes bois tem chifres grandes e ele achava muito bonito'', explica Vilela. 

Os bois, entretanto, precisavam ser ''amansados'' e esta tarefa coube ao domador Edson Lima, mais conhecido como Edinho, que trabalha com a família Vilela há 11 anos. Para ele, esta atividade serve como terapia. 

Edinho fica feliz em transportar as crianças de um lado para outro ou quando é convidado a contar histórias sobre carros-de-bois nas escolas. Segundo ele, até os mais antigos se emocionam com este meio de transporte, cada vez menos utilizado no mundo atual. 

O próprio domador fica emocionado quando as pessoas pedem para ele não ''se aposentar''. ''O pessoal pede que eu continue (levando os bois nas exposições) porque isto é cultura e dizem que esse 'trem' vai morrer quando eu parar'', afirma em um tom bem mineiro. 

Edinho lembra que o carro-de-boi surgiu no Brasil em 1636 e era usado para o transporte de cana-de-açúcar, que representou um importante ciclo da economia brasileira.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »