12/09/2012 às 09h43min - Atualizada em 12/09/2012 às 09h43min

URAÍ: Com acesso à internet, preso postava fotos tiradas na cela nas redes sociais

Terra.com.br

 

Após tentar fugir por um túnel da delegacia de Uraí, o detento Leandro Martins da Silva, o “Risadinha”, acessou seu perfil em uma rede social na internet para postar uma mensagem desejando “boa noite a todos”. A mensagem foi postada às 21h42 de segunda-feira (10). Na madrugada anterior, às 3h30, alertados por vizinhos, policiais militares conseguiram evitar que 61 presos da cadeia fugissem por um túnel de aproximadamente 30 metros de extensão. A saída do túnel iria ocorrer em um piso do banheiro de uma casa localizada ao lado da delegacia.

Preso em março deste ano sob a acusação de tráfico de drogas e corrupção de menores, desde agosto, Silva acessa regularmente seu perfil, postando fotos onde aparece ao lado de companheiros ou em poses no interior da cela, onde está pintado o escudo do Corinthians. O preso também escreve mensagens revelando intenção de deixar o local. “Vou sumir deste lugar, quero ir bem longe e ficar de boa”, escreveu ele em uma das postagens. Com livre acesso ao uso do telefone, ele informa a uma das 89 pessoas adicionadas em seu perfil que “quando der nóis liga aí para falar com vocês certo [sic]“. O detento também usa a rede para filosofar sobre a vida na cadeia. “Só quem conhece o frio da cadeia da valor ao calor da liberdade…[sic]“, escreveu ele. A vida criminosa também é motivo de reflexão. “Amo a vida mais a morte me namora”, postou Silva.

Desespero

Após ligação de vizinhos, os policiais descobriram que os presos haviam cavado um túnel entre a delegacia e a residência. Por erro de cálculo, a saída ocorreria no banheiro da casa vizinha. Ao desconfiarem da presença da polícia, os detentos abandonaram o túnel e retornaram para as celas. Preocupado com a segurança, o dono da casa pretende se mudar do local.

Sem vagas

Adaptada em um imóvel que anteriormente era uma residência, a cadeia de Uraí tem espaço para 12 presos, mas abriga atualmente 61 detentos. Deste total, 32 são condenados pela Justiça. De acordo com o delegado Adair de Oliveira, que assumiu a delegacia há uma semana, é possivel fazer furos nas celas “até mesmo com uma caneta”.

Oliveira informou que quatro investigadores se revezam em turnos individuais para a guarda dos presos, além de atender outras ocorrências. “Mas não há o que fazer, não vagas no sistema para transferência”, afirma.

O delegado disse que na manhã desta terça-feira (11) policiais militares realizaram uma “operação pente-fino” nas celas e encontraram quatro celulares além de barras de ferro, utilizadas para cavar o túnel. Ele informou que abriu um inquérito para apurar o caso, proibiu visitas pelo período de 30 dias e vai aumentar o rigor na fiscalização de entrega de comida destinada aos presos.
A Secretaria de Estado da Segurança do Paraná, informou em nota que “o governo do Paraná tem um objetivo claro de mudar esse quadro de custódia indevida de detentos em delegacias”.

O texto informa que “a migração dos presos para as unidades prisionais sob responsabilidade da secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos é gradual e depende da abertura de vagas no sistema”. A nota registra que, até o final de 2013, os presos de 29 carceragens geridas pela Secretaria da Segurança serão transferidos sistema penitenciário do estado.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »