09/08/2012 às 09h12min - Atualizada em 09/08/2012 às 09h12min

Cinco cobras são achadas em sítio

www.folhaweb.com.br

 

Foi um ato corajoso. O proprietário de um sítio em Assaí (Norte), saiu em busca de uma cobra e acabou encontrando cinco da espécie cascavel, espalhadas pela casa. ”Toda manhã aparecia uma galinha morta. Comecei a desconfiar e fui tentar achar a cobra. Encontrei uma atrás de freezer, outra perto da bomba do poço, duas no depósito de materiais agrícolas e uma no galinheiro. Ela já tinha picado cinco galinhas”, contou Hélio Shigueru Kuroda.

Ele disse que quando a temperatura aumenta é comum encontrar cobras no sítio e, por isso, não teme as ”venenosas”. ”Elas estavam mansinhas. Usei uma corda e coloquei todas elas em uma caixa d’agua improvisada. Chamei a Defesa Civil porque sei que não é certo matar animais silvestres”, ressaltou.

Segundo o agente Domingos, da Defesa Civil de Assaí, a captura dos animais, na terça-feira, foi feita com a ajuda de um gancho. ”Nesse período de inverno, elas ficam mais tranquilas”, diz. Venenosas, as cobras têm entre três e sete anos de vida e a maior delas chega a medir um metro e meio de comprimento.

O trabalho foi realizado em conjunto com os bombeiros voluntários do município, que transferiram os animais dentro de uma caixa, para a sede da Polícia Ambiental em Londrina.

”Estamos tentando submetê-las à inspeção de um veterinário para encontrar um local para remanejá-las. Mas tudo indica que elas poderão ser soltas novamente ao habitat natural, sendo o mais afastado possível da área urbana”, comentou o capitão Ricardo Eguedis, comandante da 2Companhia de Polícia Ambiental.

De acordo com ele, são comuns a ocorrências para resgate de cobras. Só neste ano, cinco já foram registradas. Mas um grande problema, segundo Eguedis, é que na maioria dos casos as pessoas acabam matando os animais. ”Mas neste caso, esse homem teve a perspicácia de acionar uma equipe. Esse é o procedimento correto”, disse.

Serviço - Qualquer denúncia de crime ambiental pode ser feita pelo 0800 643 0304, que atua em todo o Paraná ou em Londrina, pelo telefone: (43) 3341-7733


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »