07/05/2010 às 15h21min - Atualizada em 07/05/2010 às 15h21min

Quatro países europeus aprovam ajuda à Grécia nesta sexta

Alemanha, Itália, França e Espanha votaram ajuda financeira à Grécia. Mercados seguem tensos e bolsas operam com fortes quedas.

Foto: AP
Após um dia de "pânico" no mercado financeiro global por temor de que a crise na Grécia se alastre para outros países, Alemanha, Itália, França e Espanha aprovaram suas partes na ajuda financeira à Grécia, que soma 110 bilhões de euros (US$ 146 bilhões).
Angela MerkelA primeira-ministra alemã, Angela Merkel, durante votação no parlamento nesta sexta-feira. (Foto: AP)

Na quinta, as bolsas de valores mundiais sofreram fortes abalos com a preocupação de que o pacote de ajuda não fosse encerrar a questão.Os temores com a situação grega seguem afetando os mercados financeiros europeus. No final da manhã desta sexta (horário de Brasília), as principais bolsas operavam com quedas acentudadas. Na França, o CAC caía mais de 5%. Na Alemanha, as perdas superavam os 3%.
 A Alemanha é o país que mais contribuirá no pacote. O Parlamento alemão (Bundestag) - espécie de Câmara dos Deputados - aprovou a ajuda de 22,4 bilhões de euros à Grécia, sua parcela dentro do plano estipulado pela União Europeia (UE). O projeto de lei será votado ainda nesta sexta pelo Bundesrat, outro órgão constitucional alemão, como o Senado.

As autoridades alemãs finalizarão assim o procedimento de urgência para a aprovação da ajuda à Grécia, pouco antes do começo da cúpula extraordinária em Bruxelas dos 16 países da zona do euro para discutir as consequências da atual crise.

O procedimento ocorreu em tempo recorde de cinco dias desde a apresentação do projeto, pelo governo de Angela Merkel. O pacote superou todos os procedimentos legais a tempo para a cúpula extraordinária dos países da zona do euro.Também nesta sexta, entidades bancárias e companhias de seguros privados da Alemanha anunciaram que concederão voluntariamente 8 bilhões de euros ao pacote alemão de ajudas para apoiar a Grécia.

As entidades se comprometeram ainda a sustentar até 2012 suas linhas de crédito para a Grécia e seus bancos e a não se retirar do negócio da dívida grega. O anúncio foi feito por um porta-voz do Ministério das Finanças alemão, que não especificou as companhias envolvidas.

França, Itália e Espanha

A França, país com a segunda maior contribuição, aprovou o pacote que prevê um crédito de 16,8 bilhões de euros (US$ 21,2 bilhões) do governo francês ao país em três anos. Os empréstimos têm juro de 5% e 3,9 bilhões de euros serão disponibilizados no próximo ano. O Senado aprovou o plano por 311 votos a 24.

A contribuição inicial da Itália será de 5,5 bilhões de euros, mas, ao longo de três anos, será alocado um total de 14,8 bilhões de euros, conforme o decreto aprovado pelo Gabinete da Itália. O decreto tem efeito imediato, mas somente deve ser aprovado pelo Parlamento dentro de 60 dias.

Na Espanha, o Conselho de Ministros aprovou a contribuição de quase 9,8 bilhões de euros ao pacote. Em coletiva a jornalistas, a primeira vice-presidente María Teresa Fernández de la Veja disse que o governo "não aposta só na Grécia, mas também na economia europeia e em uma estabilidade que será garantia de bem-estar a muitos milhões de cidadãos", de acordo com o jornal El Mundo.

Os quatro países somam mais de 70% da ajuda que a União Europeia concederá à Grécia.

Medidas

Em contrapartida à ajuda, o governo grego apresentou um pacote de medidas de ajuste fiscal. Entre as ações estão o congelamento de salários dos servidores públicos até 2013, o aumento de impostos, o corte no planos de aposentadoria, o fim de vários benefícios e a flexibilização das leis trabalhistas.

As medidas ocasionaram protestos por parte dos trabalhadores. Sindicatos realizaram greves gerais e manifestantes entraram em choque com a polícia. Em um dos protestos, três pessoas morreram.


Fonte: G1

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »